SEM PALAVRAS, SEM CELULAR

Ontem chegamos em casa tarde, João, Ana e Tuck capotados no banco de trás e estávamos sem a chave da porteira.

Até a ajuda chegar fiquei uns 15 minutos parada.

Normalmente, numa situação dessas, pegaria o celular para dar conta das mensagens não respondidas, mas para minha sorte ele estava sem bateria.

Então, fiquei só ali, escutando a respiração dos três que dormiam profundamente e os barulhos noturnos da natureza.

Foi um presente perceber como os movimentos de dentro estavam fora.

Uma viagem.

Quando voltei em mim, usei o celular do João e fiz essa foto que me ajudou a me descrever naquele instante. (A tecnologia a favor kkk)

Deixo aqui uma idéia: quando estiver com dificuldade de se escutar, de perceber como está tudo ai dentro… Pare um pouco, de dia ou de noite, e olhe para a natureza, com certeza ela te trará pistas. Num barulho, num aroma, num formato, numa cor….

Da conexão vem o insight.

Se quiser compartilhe aqui alguma experiência frutífera e/ou desafiadora nesse sentido e vamos ampliando nosso repertório!

Seguimos. Adiante, dentro e fora.



1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo