PARIR


Parir é dar passagem.

Passagem a algo ou alguém que quer vir.

Em nós, entre nós e por nós.

É necessário trabalhar, mas também é preciso abertura, confiança e entrega.

Amando acompanhar os partos físicos e energéticos desde fevereiro.

Temos trabalhado muito com a energia da criação e fertilidade e os frutos estão chegando.

E para nos ajudar nessa semeadura dia 27/02 tem Benção Mundial do Útero, vamos chamar a força desta Lua Cheia para ajudar a germinar o que precisa. Trabalhando com a energia e pulso da criação e da abundância.

E só lembrando que depois do parto, qualquer que seja, é recomendado o resguardo.

Precisamos silenciar para que possamos integrar todas as forças que estiveram presentes ao parir, ao trazer a vida para algo ou alguém que contou com seu corpo, suas águas, emoções e com sua energia!

Assim como depois do dia vem a noite, do verão vem o outono-inverno, depois da cheia vem a minguante-nova. Depois da expansão vem o recolhimento. E depois da Benção virá um repouso.

Saibamos silenciar.

O SILENCIAMENTO É PARTE DO PROCESSO FÉRTIL.

Seguimos. Navegando entre dentro e fora.

Entre dar a vida e morrer.

Entre Lua Cheia e Lua Nova.

Entre criar e poder comungar com esta força criativa que é a Terra e a Lua em nós.

3 visualizações0 comentário